sexta-feira, 16 de julho de 2010

Aldeia de Moção...gémea à Aldeia da Relva

(foto Dolores Marques)
*
O destino está marcado...
Ou somos nós que fazemos o destino?
Já não sei o que pensar
Só sei que tudo pode ser mudado
Desde o grande ao mais pequenino
Apenas num simples
Clicar

E assim
Culturalmente
As Aldeias “gémeas”
Relva Moção
Irão ser comentadas

Em Agosto,
Estação do Verão


E recordadas
Por dois seres
Que nem se conhecem ainda
Mas que o viver nas duas é igual
São duas aldeias de Portugal
Onde a crise já chegou
E imigrados
Vivem
Nelas sentem uma saudade
Ainda de isolamento
“Infinda”

Este encontro
Vai servir
Para melhor descobrir
O quanto está retido
Sobre um passado
Sofrido
Tem “peada”
Pelos dois
Da mesma maneira
Vivido

Nesta minha poesia
“Um Nada”
Ao seu lado
É para mim uma união
Da Relva
Aldeia gémea
Com a Aldeia
De Moção

Poeticamente
Com a sua beleza de escrever
E com a minha pobreza
Mas vontade de ajudar
Faremos das nossas ALDEIAS
Um testemunho
E local a percorrer
Pelo menos para
A todos lembrar
Que elas são
Um tesouro
Em plena serra
Mas que vale a pena conhecer

É nelas .. ALDEIAS
Onde o carinho humano está presente
E a sua gente diz o que gente
Em meias Luas
Em quarto crescente
Em quarto minguante
Em todas
As Luas cheias
*
Poema enviado por Adelino Pereira, natural da Relva

3 comentários:

VALVESTA disse...

encantei-me com esse espaço, seja bem vinda no meu coração, beijos e semana de paz.

Natalia Nuno disse...

Minha querida Mathilde, fiquei emocionada com o teu carinho, com as palavras deixadas na Vóny, mais umas lágrimas caídas, obrigada pelo~carinho e amizade, passarei a vir ler-te aqui aos teus blogs,
agora com um pouquito mais de tempo.
Para ti toda a felicidade e bem estar.
beijinhos linda

Jortas disse...

Isto é que eu mais admiro no meu povo, aquele que não deixa que sejamos um país adiado. As aldeias deste Portugal constroem luares de luas cheias e não ficam à espera que estrelas lhe venham roubar a vontade de viver nem de vencer.