segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Fluxos Migratórios - O resistentes (cont)


João, filho da minha prima Natália e sua esposa Aida

Um casal na casa dos 45/50, emigraram durante um curto período de tempo para a Suissa, tal como os seus irmãos, mas cedo decidiram voltar.

Ele aprendeu a arte da construção civil e enquanto a sua saúde o permitiu, foi por estes locais, que governou sua vida, construindo de raiz, ou reconstruindo as já existentes.



A pedra, de xisto, o granito, é abundante nestas paragens e a sua capacidade de adaptação ao local, faz-se sentir pela forma como os seus olhos desenham traços novos e as suas mãos os modelam, ao jeito de quem sabe que a força é arrancada muitas vezes de dentro para fora. Enquanto isso, e nas horas vagas, a sua esposa trata de alguns trabalhos do campo, com a sua ajuda, sempre que o tempo lhe permite.









As suas filhas emigraram para a Suissa, onde se encontram neste momento

1 comentário:

Luiz Sommerville disse...

Bom Dia !
Um país , o nosso , que escreveu e escreve fundo nos amados, que são filhos desta terra, a triste , ou não , necessidade de pegar nas malas (com elas ou sem) e largar ... e , mais tarde ou mais cedo , voltar ... como se vivêssemos nos tempos imperiais nos quais se cinzelou para a eternidade a mais crua e dura palavra - SAUDADE !
Festas Felizes !
Tudo de bom , amiga !