segunda-feira, 10 de maio de 2010

Promessas


A imagem de Nossa Senhora da Livração para além de muito bonita é também muito valiosa, pois tem mais de 200 anos, e muito venerada.
Eu recordo-me a partir dos meus 12 anos, que as raparigas do Moção e de algumas aldeias vizinhas, faziam promessas a Nossa Senhora da Livração para que livrasse os namorados de cumprirem o serviço militar e então era vê-las em volta da capelinha, muitas vezes às escondidas, para não darem que falar. Mas também me recordo de pessoas de aldeias bem distantes, como Mós e Eiriz virem ali cumprir promessas. Promessas essas que consistiam em arranjar lá na povoação algumas crianças até ao número de 9 a quem davam cinco tostões, para andarem em volta da capelinha a rezar o terço (novenas) em agradecimento a Nossa Senhora por ter livrado os filhos de irem para a tropa e muitas vezes para que nenhum mal acontecesse aos maridos, que tinham emigrado para o Brasil, para conseguirem o sustento da família, que era a única alternativa, como aconteceu ao teu avô e ao meu pai e a tantos chefes de família da nossa povoação e de outras partes do País, porque cá não havia forma alguma de ter algum dinheiro.
Tenho bem presente na minha memória o mês de Maio em que ao fim de um dia de trabalho, tocava o sino e lá iam as pessoas para a capelinha, em que o meu pai rezava o terço e dizia a ladainha de Nossa Senhora, finalizando com uma leitura própria do mês de Maria.
Mais tarde quando eu tinha 16 anos, coube-me a mim essa tarefa, pois o meu pai teve de ir novamente para o Brasil, de onde tinha vindo há 4 anos. E assim se cumpriu a tradição até que vim para militar para Lisboa. Também me lembro das raparigas, que andavam no bailarico, o que era frequente todos os Domingos, umas vezes com o Elias de Cima, que recordo com muita saudade a tocar concertina, outras com o Constantino de Cabaços e na falta destes lá estava o saudoso Adrianito com o seu realejo, mas nisto tudo o que é mais engraçado era as raparigas a pedirem-me , que também andava no baile para ir tocar o sino mais tarde, que como é lógico queriam dançar mais. A maioria das pessoas do Moção eram muito devotas de N.S. da Livração, que é a padroeira da povoação.

Texto enviado por: Ananias Correia (a quem agradeço), 73 anos de idade natural do Moção e residente no Forte da Casa V.F.Xira

4 comentários:

Isabel disse...

Prima...quero antes de mais dar-te os parabéns....é muito bom vir aqui ver e recordar....desde que sei que ele existe tenho vindo sempre que posso dar um vista de olhos.beijokas ISABEL CORREIA

Rotiv disse...

Depois de algumas visitas a este cantinho, hoje optei por deixar um comentário!
Ao passar os olhos por este encanto conheci as origens de uma pessoa que me é muito querida, a Isabel!
Parabéns à autora do blog por divulgar a sua aldeia, pelos textos e pelos bonitos registos fotograficos!
Um sorriso :)

Mª Dolores Marques disse...

Olá Isabel

Agradeço-te o teres passado por aqui. Por vezes sãop estes pequenos gestos que nos dão incentivo para continuar

beijos

Mª Dolores Marques disse...

ESte cantinho está então a tornar-se um encontro das gentes beirãs e que gentes

Obrigada aos dois